A louca história do Gol “flagrado” por radar a 880 km/h nas ruas do Rio

São muitos os casos de carros flagrados a velocidades exorbitantes, porém nenhum se aproxima do que aconteceu com o engenheiro de alimentos Rafael de Andrade. Ele passou um longo período sem conseguir regularizar o IPVA do seu carro porque devia ao Detran do Rio de Janeiro por uma multa que durante anos se recusou a pagar. O órgão carioca o acusou de passar a uma velocidade de 880 km/h por um radar eletrônico em Niterói (RJ), em uma via cuja velocidade máxima era 60 km/h.

Rafael entrou com recurso no Detran de Niterói. Achou que a multa ia ser desconsiderada, mas ela foi mantida. Para o Detran de Brasília, o documento do carro só sai se ele pagar a dívida. “Eu me recusei a pagar a multa”, indigna-se o engenheiro.

Foto reprodução

O piloto profissional de Fórmula Três Rodolfo Santos considera absurda a alegação do Detran do RJ. “Nem um carro de Fórmula 1 conseguiria atingir 880 km/h. Eu piloto o carro mais veloz da América do Sul e a gente consegue atingir 270 km/h, o que já é uma coisa muito alta.” O carro de Rafael é um Volkswagen Gol 1.0.

Preso em um avião?

O chefe de uma equipe de automobilismo Amir Nasr também desdenha da alegação do Detran. “O carro mais rápido de rua faz pouco mais de 400 km/h, que é um Buggati (o Buggatti Veyron Ele vai de 0 a 96 km em apenas 2,5 segundos). Então, uma multa dessas é ridícula”, comenta. A multa de Rafael virou motivo de piada entre os mecânicos do Autódromo Nelson Piquet, de Brasília. “Ele estava amarrado num avião?”, brincou um deles.

De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito, no fim da história Rafael foi obrigado a pagar a multa para poder recorrer ao Conselho Estadual de Trânsito.

 

COMPARTILHAR