Os 5 modelos de carros que mais sofrem “bullying” dos brasileiros

O brasileiro definitivamente não tem jeito, é um povo zoeiro por natureza, isso todo mundo já sabe. Por aqui, se faz piada com tudo, e é claro, o mundo automotivo não poderia ficar de fora. Os carros mais populares, principalmente, são sempre alvos de gozações e trocadilhos. Se no começou da indústria automotiva no país os apelidos já “comiam solto'”, imagina depois do advento ao internet e da possibilidade de fazer as montagens mais engraçadas da rede. Se você é apaixonado por carros e adora uma boa gargalhada, se liga na lista dos 8 carros mais zoados pelos brasileiros:

VOLKSWAGEN FUSCA E OS CHIFRES

Foto reprodução

Na década de 60, o Fusca sofreu tanto bullying por seu teto solar que o equipamento foi oferecido por menos de um ano. Muitas unidades, inclusive, tiveram seu teto fechado após a compra. Hoje, o carro histórico com teto solar original é uma raridade, estando esses modelos estão entre os mais valorizados no mercado de clássicos.

FIAT “DOR DE CABEÇA” MAREA FIVETECH

Foto reprodução

Sabe aquele jogador de vidro que joga no seu time e vive no departamento médico? Passando para um cenário, digamos, automobilístico, esse era mais ou menos o Fiat Marea. O carro era conhecido por viver na oficina mecânica.

Os problemas começavam já no manual da Fiat, que indicava um intervalo de 20 mil km para a troca de óleo – o dobro do praticado até hoje pela indústria nacional. O uso de fluidos com especificação inferior e a demora para a troca da correia dentada – que exigia a remoção do motor do cofre e aumentava o custo da mão de obra – ainda pioravam a situação.

FORD KA

Foto reprodução

A primeira geração do Ford KA tinha um design no mínimo exótico. Seu visual era um prato cheio para zoações, sendo a traseira o foco das críticas. Besouro, formiga tanajura e comparações aos glúteos (pra não usar outro nome), estavam entre as brincadeiras com o carro. Não por acaso, a fabricante logo promoveu uma reestilização apenas na traseira em 2002. No fim, o Ka só emplacou em vendas ao ser completamente remodelado para sua segunda geração.

FIAT UNO E A “ESCADA NO TETO”

Foto reprodução

O desempenho do Fiat Uno em velocidade tinha uma ótima fama. O compacto era inclusive chamado de foguete sobre rodas. Mas, seu baixo valor e ótima economia de combustível levaram o carro a ser a primeira escolha de empresas e prestadores de serviço. Assim, o carro, sempre visto com uma escada no teto, passou a ser assimilado à imprudência de motoristas profissionais e prestadores de serviço, que a bordo do Uno, se envolviam em infrações e acidentes de trânsito.

FIAT TIPO “ON FIRE”

Foto reprodução

Sucesso de vendas no princípio, o Fiat Tipo teve, com o perdão do trocadilho, sua imagem queimada após uma série de incêndios nos carros, sempre na versão 1.6 importada. Um defeito no sistema de direção hidráulica motivou dois recall por parte da Fiat, mas nenhum deles foi capaz de apagar sua má reputação.

Pouco depois a Fiat lançou no Brasil a linha de motores F.I.R.E. (sigla em inglês para motor robotizado totalmente integrado) na linha Palio. Como as letras também formam a palavra inglesa para fogo, a piada estava pronta, ainda que tecnicamente errada: o quatro-cilindros 1.6 era inocente no caso dos Tipos inflamáveis.

Por: João Vítor Castanheira/Preparadopravaler

COMPARTILHAR