10 carros bons e baratos que você pode comprar em 2019 por menos de 10 mil reais

Se uma de suas resoluções de ano novo para 2019 foi deixar o transporte público para trás e comprar seu primeiro carro, separamos uma lista de 10 possíveis candidatos para ganhar a sua garagem. Como em todo primeiro carro, o orçamento é a parte mais delicada e, por isso, os modelos na lista não passam de R$ 10 mil. pesar de alguns já terem a idade do jovem que irá adquiri-lo, ainda possuem farta oferta de peças no mercado e mecânica simples. Afinal, não basta comprar, é preciso manter o veículo também.

Chevrolet Corsa

Foto reprodução

A segunda geração do Opel Corsa europeu chegou ao Brasil em 1994 pela Chevrolet e inaugurou uma era de veículos arredondados. Apesar de já estar lá com seus 20 anos, o design ainda é simpático e o carro ainda é vista fácil nas ruas e nos anúncios de carros usados. Por até R$ 10 mil, é possível encontrar diversas variantes do modelo. Há carrocerias de duas ou quatro portas e motorizações 1.0, 1.4 e 1.6.

Chevrolet Celta

Foto reprodução

Descendente direto do Corsa, o Chevrolet Celta compartilha alguns componentes mecânicos com seu antecessor. Por enquanto, a faixa de até R$ 10 mil compreende em grande parte apenas os modelos mais antigos, entre 2000 e 2004, com motor 1.0. Mas o modelo já está com quase 15 anos de fabricação e deve deixar de ser produzido num futuro próximo, o que pode deixar os modelos mais recentes um pouco mais em conta.

Fiat Uno. O antigo, claro

Foto reprodução

Houve uma época em que o Fiat Uno não era um “quadrado arredondado”. Era só quadrado mesmo. Com a produção encerrada em 2013, o Fiat Uno pode ser adquirido com até R$ 10 mil, só não espere um semi-novo nessa faixa. Os carros entre 1994 e 2004 se encaixam melhor em tal perfil e é possível encontrá-los com motorizações 1.5 e 1.6 por esse valor, além do econômico, mas frugal, Mille 1.0. Dê preferência para os modelos já com injeção eletrônica, pois os carburados vão exigir uma manutenção maior.

Fiat Palio

Foto reprodução

Em 1996, o Fiat Palio nasceu para substituir o Uno, mas não conseguiu. Apesar disso, conquistou espaço próprio e vendeu bem, garantindo a oferta do carro no mercado. Até o teto de R$ 10 mil, é possível encontrar modelos entre 1996 e 2000 e, nessa época, sua mecânica era compartilhada com o Uno, facilitando encontrar peças de reposição para o motor. Também ajuda o fato de a carroceria dessa primeira geração continuar em linha até hoje no atual Palio Fire.

Ford Ka

Foto reprodução

Lançado em 1997, o Ford Ka tem diversas opções até R$ 10 mil para modelos fabricados até 2002, mas a oferta se limita a carros 1.0. Fuja dos equipados com o bloco Endura-E (1997 a 1999), que é econômico, mas fraco. Dê preferência aos que já possuem motor Zetec RoCam, um propulsor de melhor desempenho que foi fabricado até 2014. Pequeno e leve, o modelo diverte ao volante, mas aperta quem vai atrás.

Ford Fiesta

Foto reprodução

A primeira geração do Ka pode ser divertida, mas o pequeno porta-malas e a capacidade para apenas quatro passageiros pode afastar alguns compradores. Na mesma faixa de preço, pode-se comprar um Fiesta, que compartilha diversos componentes mecânicos com o Ka e tem mais espaço. Só não caia na tentação de correr atrás de um anterior a 1997, pois em tal geração o modelo era importado e fica mais difícil encontrar peças. Assim como no Ka, a melhor motorização é o Zetec RoCam, que saiu nos carros com ano/modelo 2000.

Peugeot 206

Peugeot 206

Se até agora só apareceram veículos de entrada, com poucos luxos, a ala francesa pede passagem. Com os mesmos R$ 10 mil é possível encontrar o Peugeot 206 não apenas em sua básica forma 1.0 16V, como também as versões Rally com motor 1.6 16V e itens de conforto como ar-condicionado e direção hidráulica. Nesse valor, o 206 será encontrado nos modelos entre 2000 e 2004, mas fique atento à mecânica e à suspensão, pois a primeira geração dos franceses fabricados no Brasil levou um tempo até se acostumar com as condições de nossas ruas e combustíveis.

Renault Clio

Peugeot 206

O mesmo cuidado vale para o Renault Clio, modelo que no final dos anos 1990 se gabava por ter airbags de série em algumas versões numa época em que a maioria do mercado ainda nem sabia direito o que era tal equipamento. É possível encontrar modelos até 2003 sendo sempre equipados com motor 1.0 16V na faixa dos R$ 10 mil. O bloco, com algumas alterações, permanece em linha no atual modelo. Dê preferência aos modelos a partir de 1998, cuja carroceria permanece em linha no atual Clio, que passou por melhorias estéticas ao longo dos anos.

Volkswagen Gol

Peugeot 206

O Volkswagen Gol perdeu a liderança apenas em 2014. Da época em que ele detinha soberanamente o posto de mais vendido há várias opções, principalmente da primeira (1980 a 1994) e da segunda geração (1995 a 2001). Se você quer apenas um transporte com menos dor de cabeça, invista nos últimos, já com injeção eletrônica. Os de primeira geração são quase sempre carburados, com exceção ao esportivo – e caro – GTI e ao raríssimo Gol 1000i fabricado entre 1995 e 1996. Por até R$ 10 mil não é necessário nem ficar limitado aos motores 1.0, sendo facilmente encontradas configurações 1.6 e até mesmo 1.8.

Volkswagen Fusca

Foto reprodução

Se além de um transporte acessível você quer também um carro para aprender a gostar de carro, o bom e velho Fusca continua sendo a melhor opção. Apesar de completamente anacrônico nos dias atuais, bem cuidado é um carro que pode ser usado todos os dias sem problemas. O modelo foi fabricado por aqui entre 1959 e 1986 e, posteriormente, entre 1993 e 1996.

Mecânica simples e fartura de peças de reposição o tornam a escolha certa para um aspirante a antigomobilista. Enquanto os modelos até 1970 estão sobrevalorizados e se tornando itens de coleção, os fabricados entre 1973 e 1986 ainda estão acessíveis. E nem é necessário gastar todos os R$ 10 mil. Os últimos – 1979 a 1986 – são os mais em conta. Nesse caso específico, o ano de fabricação e a motorização (1300, 1500 ou 1600) é o que menos importa, sendo bem mais relevante o estado de conservação do que a quilometragem.