5 vantagens de ter um carro dos anos 90 que você não sabe

283

Início de 1990. Fernando Collor de Mello assume a presidência do Brasil. Quase que imediatamente chama os carros feitos por aqui de carroças. Abre as importações e quais são os primeiros carros que chegam em massa por aqui? Ladas, fabricados da mesma maneira há décadas na hoje extinta União Soviética. Collor sai da presidência em 1992. Itamar Franco assume e pede um carro popular. Resultado: revive o Fusca.

Olhando assim, parecia que a década de 1990 tinha começado com o pé errado, ainda mais porque o Brasil não chegou nem à semifinal da Copa do Mundo da Itália. Mas assim como a decepção no futebol e na política forçou o país a melhorar, um cenário confuso no setor automotivo causou uma revolução nessa década, gerando carros icônicos que marcaram a infância de muita gente.

063920037815788
Foto reprodução

Foi nesse período que itens como injeção eletrônica começaram a se popularizar, tivemos nossos primeiros carros 16V e turbo de fábrica e o reinício das importações fez as montadoras daqui se mexerem. Lembram-se daquele visual quadradão da década de 1980? Antes do final da década de 1990 ele estaria morto por aqui. Separamos para vocês alguns modelos mais significativos desse período.

Abertura de importações e novos players

Sim, os primeiros importados a se popularizar podem ter sido os carros da Lada. Mas, ainda bem, não foram os únicos. Foi nessa época que começaram a chegar por aqui verdadeiros aliens aos nossos olhos, feitos por marcas desconhecidas como Honda, Nissan, Toyota, Hyundai e Mitsubishi. Praticamente todas as marcas de origem asiática desembarcaram por aqui em algum ponto. Isso sem contar as francesas Peugeot, Citroën e Renault.

Foi também o reencontro dos brasileiros com marcas de luxo, como Mercedes-Benz, BMW e Audi. A última, inclusive, veio pelas mãos da família de Ayrton Senna. E nessa década de 1990 também foi um período mágico em que você poderia entrar em uma concessionária Fiat, olhar um Uno e, se não estivesse no clima para um compacto de entrada, poderia olhar para o outro lado e comprar uma Alfa Romeo 164 V6. A escolha era sua.

Agora façam um exercício de memória: vejam quantas das marcas citadas acima já possuem fábricas no Brasil. Se não fosse a reabertura do mercado, talvez nem chegassem por aqui. Hoje, por exemplo, a Toyota já é tão brasileira quanto um temaki de arroz e feijão.

Os parceiros do Canal Máfia Automotiva listaram 5 vantagens de ter um carro dos anos 90, confira abaixo:

(iCarros)