Conheça o brutal Opala V8 350 avaliado em R$ 48 mil

Por mais que os fãs do Opala sejam apaixonados pelo seu seis-em-linha, lá no fundo existe aquele irresistível desejo de que o Chevrolet mais icônico do país tivesse a opção de um V8 debaixo do capô – como o seu primo australiano Holden Monaro GTS. E é nesta hora que eu sou jurado de morte pelos opaleiros.

Acelerar um “seis canecos” original já é uma experiência e tanto, independentemente de suas preferências, mas existe uma razão para que o swap por um motor V8, em especial o Chevrolet small block de 350, seja tão popular. Ou seriam várias? Além do ganho potencial de torque e potência e do custo relativamente baixo (o V8 350 é o motor de oito cilindros mais popular nos EUA), o peso do bloco fica mais bem distribuído (afinal, um V8 tem quatro cilindros enfileirados em duas bancadas) e você ainda causa sérias confusões mentais em donos de Dodge e de Maverick – seus grandes rivais das pistas e das ruas.

Foto reprodução

O carro das fotos, um Opala 1975 na cor grená, é um belo exemplo disso. Além de (provavelmente) andar muito, o carro foi customizado, segundo o próprio dono, no estilo “muscle car old school” — uma personalização de época sem exageros, descolada e classuda ao mesmo tempo — note os faróis com lentes amarelas e as rodas pretas com calotas cromadas. Nada de Pro Touring, nada de perfumaria – somente a boa e velha bandidagem.

Foto reprodução

Por dentro, o carro apresenta grau considerável de originalidade,com exceção do conta-giros montado na coluna de direção e dos mostradores instalados em um console abaixo do rádio. Não é um carro impecável — uma olhada rápida pelas fotos já revela algumas marcas do uso —, mas não há nada que nos impeça de babar nele um pouquinho. Até porque, na real, o grande atrativo deste carro não se percebe com os olhos, mas com os ouvidos e com o pé direito.

Debaixo do capô está um Chevy V8 small block de 5,7 litros, acoplado a um câmbio manual Clark 260F de quatro marchas com diferencial Dana 44 – combo de transmissão clássico usado pelos opaleiros com motores preparados, pois este conjunto (que originalmente equipa os Dodge Dart/Charger e Maverick) segura melhor a porrada de torque. Nada revolucionário, mas não é preciso reinventar a roda para fazer um carro insanamente bacana. Segue a ficha técnica completa:

Detalhe para a relação do diferencial Dana: 3,73:1. Quem entende do assunto já sabe o que isto significa, mas quem não entende pode confiar nas palavras do Juliano Barata que, enquanto conversávamos sobre o carro, disse que a relação encurtada no diferencial faz uma baita diferença no quesito diversão (na verdade ele falou algo sobre arrancadas em semáforos, mas não estamos incentivando nada!). Para se ter uma ideia, a relação original do Maverick V8, que usa o mesmo diferencial, é de 3,07:1.

Foto reprodução

E qual é o preço disso tudo? O dono colocou esse monstro a venda por R$ 47.990 e o anúncio não durou por muito tempo. Antes que você saia por aí reclamando de novo do absurdo que estão os preços dos antigos no Brasil, vamos fazer umas contas: para importar um crate engine  Chevy 350 de lojas gringas como a Summit Racing, você gastaria entre R$ 25 mil e R$ 30 mil. Um Opala em bom estado não custa menos de R$ 10 mil, e pode colocar mais R$ 10 mil na conta para cobrir os gastos com a dupla câmbio + diferencial (com miolo refeito), além de toda a mão de obra e o trabalho de encontrar uma oficina que faça um trabalho bem feito. Só nesta brincadeira a soma já ultrapassa, facilmente, os R$ 50 mil. Se você quer um Opala bacana e não acredita que o melhor de ter um carro preparado é fazer tudo sozinho, talvez este seja o carro perfeito para você.

Foto reprodução
Foto reprodução

Fonte: FlatOUT

COMPARTILHAR