Vai voltar? Opel pode lançar versão esportiva do lendário Chevette

824

Sob o comando da GM, o Chevette fez história no Brasil, logo após a Opel pegar todos de surpresa com a recriação do cupê Manta dos anos 1970 os saudosistas do Chevette matarem saudades. Desta vez, no entanto, o modelo acompanha a indústria e aposta na eletricidade para conquistar o público. Porém, mesmo cheio de modernidade mecânica e visual, o Manta GSe ElektroMOD conservou alguns pontos, e a grande novidade que pode surgir em breve será o oManta Sport.

O tão esperado renascimento de Manta será totalmente elétrico, de acordo com o diretor executivo Michael Lohscheller. Além disso, a Opel e a divisão Vauxhall serão marcas totalmente elétricas até 2028, de acordo com o grupo Stellantis.

Foto reprodução

A ser lançado na Europa e no Reino Unido em algum momento até meados da década, o Manta C foi magistralmente renderizado pelo assistente de pixel Bernhard Reichel com carroceria bicolor e rodas de cinco raios. O cupê esportivo de emissões zero também balança dois raios manta nos para-lamas dianteiros, pneus de verão de baixo perfil, e uma frente semelhante à próxima geração do Astra.

Manta Sports

Opel e Vauxhall são agora definidos pelo slogan “Verde é o novo legal”, o que explica por que o Manta está voltando como um veículo halo de tipo. Conhecendo a Stellantis, o próximo modelo vai andar na plataforma STLA Medium que promete 700 quilômetros de alcance de condução.

Foto reprodução

O STLA Medium contará com opções de motor único e duplo, e várias opções de bateria também estão no pipeline. Mais abaixo do espectro, a divisão alemã e britânica contará com a plataforma STLA Small que substituirá a plataforma PSA EMP1, alternadamente conhecida como CMP.

Durante a conferência virtual Stellantis EV Day, o conglomerado automotivo americano-ítalo-francês confirmou que a Opel e a Vauxhall contarão com um portfólio totalmente eletrificado até 2024. Quanto ao prazo totalmente elétrico de 2028, isso é dois anos antes do FoMoCo ficar totalmente elétrico no Velho Continente.

Ford e Stellantis sabem que o padrão Euro 7 será o prego final no caixão da combustão interna, uma proibição de fato na venda de veículos de passageiros ICE novinhos e veículos comerciais leves. A mudança agressiva para carros elétricos a bateria e alternativas como células de combustível de hidrogênio não vai beneficiar as companhias petrolíferas, mas olhando para o quadro geral, a União Europeia ainda não está pronta para a adoção em massa de veículos não-ICE.

Manta GSe ElektroMOD

Além do aumento do consumo de energia elétrica, o maior problema da UE em termos de adoção do BEV é a infraestrutura de carregamento lamentavelmente ruim. O mesmo pode ser dito sobre estações de hidrogênio, que são muito poucas e distantes entre si. No Reino Unido, por exemplo, há 10 estações operacionais no momento da reportagem, enquanto o Japão possui 160 estações.

Fonte: AutoEvolution

Quer saber mais sobre carros e acompanhar todas as novidades do Universo Automotivo? Então segue a gente no Google News!

Google News