Os 9 carros brasileiros mais amados pelos mecânicos

FIAT FREEMONT/DODGE JOURNEY

Consultamos três mecânicos experientes para fazer uma lista de veículos que apresentam defeitos crônicos, e que por isso visitam oficinas com frequência. Para Pedro Luiz Scopino, da Automecânica Scopino, os ‘gêmeos’ Fiat Freemont e o Dodge Journey têm tendência de trepidação durante as frenagens. Segundo ele, isso ocorre porque os discos de freio sofrem empenamento, o que exige a substituição.

Foto reprodução

PEUGEOT 206

De acordo com Pedro Luiz Scopino, o Peugeot 206 tem problemas frequentes na bandeja de suspensão, que ‘não aguenta os buracos’. O mecânico Yutaka Fukuda, da Fukuda Motors Center, tem a mesma opinião, e acrescenta outro problema relativo ao carro: vazamento de óleo pela coifa do câmbio, que pode culminar com o travamento da transmissão.

Foto reprodução

FIAT MAREA

O Fiat Marea tinha problemas relacionados ao motor, principalmente por causa da correia dentada, de manutenção complicada devido ao acesso. A versão turbo também era problemática, segundo o engenheiro mecânico Rubens Venosa, da oficina Motor Max.

Foto reprodução

AUDI A3

De acordo com o engenheiro Rubens Venosa, os modelos da Audi com mais de dez anos têm alta incidência de quebras de peças do motor feitas de plástico: ‘Às vezes, fazendo a manutenção, elas quebram na mão’, garante. Segundo ele, modelos como o A3 têm muito plástico nos sistemas de refrigeração (como radiador, tubulações e bomba d’água), que com o passar dos anos ficam frágeis, devido à temperatura de trabalho.

Foto reprodução

CHEVROLET ZAFIRA

O mecânico Pedro Luiz Scopino diz que alguns modelos da Chevrolet sofrem com o derretimento do conector do eletroventilador (ventoinha) do motor. Com a pane, a ventoinha não funciona e o motor ‘ferve’. Segundo ele, isso ocorre com frequência em carros como Zafira, Prisma, Corsa e Montana, por exemplo.

Foto reprodução

VOLKSWAGEN AMAROK

A correia dentada do motor da picape Volkswagen Amarok rompe-se devido à infiltração de poeira, constata Pedro Luiz Scopino. O problema ocorre principalmente em veículos que circulam por caminho de terra.

Foto reprodução

LAND ROVER DISCOVERY 1 E 2

Os modelos mais antigos do Land Rover Discovery (versões 1 e 2) costumam quebrar com frequência, na opinião do engenheiro Rubens Venosa: ‘Você arruma uma coisa, quebra outra’, diz, referindo-se a avarias relacionadas ao motor.

Foto reprodução

FORD FIESTA (COM CÂMBIO POWERSHIFT)

O câmbio automatizado Powershift da Ford (que está presente não apenas no Fiesta, mas também no Focus e no EcoSport até o modelo 2017) tem muitas falhas relacionadas a trepidação. A razão está no superaquecimento da embreagem, entre outros motivos. Por causa disso, a empresa elevou para dez anos a garantia do sistema, e recentemente, no lançamento do Fiesta 2018, garantiu que realizou diversas mudanças no conjunto.

Foto reprodução

CITROËN C3

Apresenta os mesmos problemas do Peugeot 206: segundo Pedro Luiz Scopino e Yutaka Fukuda, a suspensão sofre muito com os buracos. Fukuda ainda acrescenta falhas na parte elétrica e vazamento de óleo pela coifa do câmbio. De acordo com a Citroën, as suspensões do C3 passaram por modificações com a chegada da nova geração, em 2012. O objetivo das mudanças foi ‘melhorar a absorção de impactos, aumentar a robustez do conjunto e oferecer conforto dinâmico superior.’ Sobre a questão do vazamento de óleo pelos retentores do câmbio e/ou problemas elétricos, a Citroën informa que não possui nenhum histórico sobre esses problemas em sua rede de concessionárias de todo o Brasil.

Foto reprodução
COMPARTILHAR