Brasileiro é apaixonado por carros e automobilismo

58

A paixão dos brasileiros por carros e corridas não se resume às transmissões dominicais da Fórmula 1. Eventos automobilísticos, feiras de carros antigos ou de luxo e o alto nível de compra de veículos de passeio comprovam o interesse da população por essa categoria. Além disso, o gosto pode ser confirmado pelos sites de apostas online, como o da Betway Esportes, onde apostadores usam seus conhecimentos no esporte para apostar em corridas de diversas modalidades.

Brasileiro é apaixonado por carros
Brasileiro é apaixonado por carros / Foto reprodução

Sobre consumo, o brasileiro costuma comprar automóveis quando a economia vai bem. No último ano, a compra de veículos cresceu 14,6% em relação ao ano anterior, segundo a Fenabrave. Este número considera automóveis, comerciais leves, ônibus e caminhões. O ápice da quantidade de emplacamentos se deu em 2012, mas nos anos seguintes houve uma queda abrupta devido à crise financeira. A retomada ocorreu a partir de 2016, e o setor tem se recuperado. No acumulado deste ano, até novembro, o crescimento é de 8,31% na comparação com 2018.

Entre os carros populares de passeio, existem aqueles que se tornaram tradicionais em suas épocas. Fusca, Kombi, Gol, Palio, entre outros, são modelos que aparecem como os mais vendidos na história e fazem parte do imaginário das ruas das principais cidades do Brasil. As listas, porém, vão se modificando com o tempo. No ano passado, por exemplo, os carros mais vendidos foram Chevrolet Onyx, Hyundai HB20 e Ford Ka, respectivamente.

Este universo é amplo e cada vez mais nichado. Centenas de eventos ocorrem por todo o Brasil arrastando multidões que procuram diferentes tipos de experiência. Desde um desfile de carro antigo, corrida de alta velocidade, feira de exposição até aqueles que amam o ronco dos motores de máquinas que acumulam um número enorme de cavalos.

As corridas automobilísticas têm uma história à parte com os brasileiros, e Fórmula 1 é, sem dúvidas, o centro das atenções neste quesito. A competição começou a mexer com o país na década de 1970 por conta do espaço conquistado por Emerson Fittipaldi à frente do volante. Fittipaldi foi o primeiro brasileiro a levantar o troféu do torneio, em 1972, e conseguiu o bicampeonato em 1974.

Na década de 1980, porém, foi outro piloto que fez sucesso na Fórmula 1. Em uma época estrelada, Nelson Piquet levantou a taça em 1981, 1983 e 1987. As vitórias e atuações emocionantes fizeram com que a audiência dos brasileiros nas transmissões das corridas pela TV fosse cada vez maior e mais interessada nas nuances deste esporte que, para alguns, ainda era novidade. Toda essa trajetória exitosa contribuiu para que, ainda no fim da década, surgisse Ayrton Senna como símbolo nacional.

Dono de um carisma diferenciado, Senna foi capaz de despertar diferentes emoções no público que se acostumou a se juntar no domingo para assistir suas corridas. Também tricampeão, seus títulos vieram em 1988, 1990 e 1991. Para além da quantidade de banhos de champagnes proporcionados, o piloto ficou marcado pelo patriotismo, eternizou a canção “Tema da Vitória” e virou um dos maiores ídolos brasileiros. Seu carisma também foi grande para colocar um país inteiro de luto no dia 1º de maio de 1994, quando o acidente que o levou à morte foi televisionado ao vivo.

Mas os esportes a motor não se resumem à Fórmula 1. Modalidades como Fórmula Indy, Fórmula Truck, Nascar e Stock Car atraem grades públicos e já tiveram brasileiros em posições de destaque. Outras categorias como Kart e Fórmula 3 são vistas como portas de entrada para quem sonha em fazer carreira no automobilismo. A primeira, inclusive, servindo muitas vezes apenas como forma de entretenimento por conta da sua acessibilidade, já que as pistas de kart se tornaram empreendimentos comuns.

Além dessas corridas mais tradicionais, há aquelas provas que provocam a curiosidade das pessoas por suas singularidades. Quando o assunto é velocidade, a criatividade do brasileiro vai longe. Haja vista as tábuas de madeira que tanto serviram para carrinhos de rolimã que deslizavam em pelas descidas das ruas. Hoje, embora com brinquedos mais tecnológicos, é comum encontrar grupos de amantes de rolimã que ainda se arriscam em eventos.

A internet se tornou um meio importante para juntar fanáticos por velocidade. Com isso, existem cada vez mais provas consideradas “estranhas” que reúnem esses fãs que acabam por se conhecer via redes sociais. De olho nisso, marcas, algumas internacionais, passaram a promover ações para o público brasileiro, com realizações organizadas e com veículos de alto grau tecnológico.