Monza venezuelano: Conheça o carro mais moderno dos anos 80 que driblou a burocracia para chegar ao Brasil

78

Acredite, se hoje a Venezuela deixou de fabricar veículos e tem visto sua frota ficar cada vez mais obsoleta, o país já viveu dias de glória no que se refere ao mercado automotivo.

Em 1989, os venezuelanos tinham à disposição um Chevrolet Monza montado localmente, melhor do que o brasileiro em alguns aspectos, mas que encalhou nas concessionárias após a chegada do Vectra – projeto muito mais moderno, que seria lançado aqui apenas no fim de 1993.

chevrolet monza venezuelano venezuela alexandre badolato
Foto reprodução

Para vender o lote encalhado, naquele ano a General Motors enviou ao Brasil aproximadamente 570 unidades zero-quilômetro do Monza venezuelano – que, em tese, não poderia ser vendido aqui. As importações de veículos seriam liberadas no País apenas em 1990.

Na época, a General Motors alegou que se tratava de uma devolução de veículos que tinham sido exportados daqui em peças separadas para posterior montagem na Venezuela, no sistema conhecido como CKD (completely knocked down ou totalmente desmontado).

Não sabemos se o argumento contribuiu para o governo brasileiro abrir a exceção que viabilizou a venda do “Monza Venezuela” em nosso mercado. Contudo, o colecionador de carros antigos Alexandre Badolato sustenta que o veículo foi efetivamente fabricado no país vizinho.

Ele é dono de quatro exemplares do carro venezuelano – três da versão esportiva S/R, incluindo a unidade azul que ilustra esta reportagem, além de um luxuoso Monza Classic.

chevrolet monza venezuelano venezuela alexandre badolato
Foto reprodução
chevrolet monza venezuelano venezuela alexandre badolato
Foto reprodução
chevrolet monza venezuelano venezuela alexandre badolato
Foto reprodução
chevrolet monza venezuelano venezuela alexandre badolato
Foto reprodução
chevrolet monza venezuelano venezuela alexandre badolato vidro
Foto reprodução

Fonte: Alessandro Reis / Na Garagem