Opala Diplomata 1988: Em estado de 0km e na mesma garagem por 31 anos

2106

Julio Raridades, um nome reconhecido em todo o país por sua habilidade em encontrar carros raros, surpreendeu novamente ao descobrir um verdadeiro tesouro automobilístico: um Opala Diplomata 1988 com uma quilometragem surpreendentemente baixa, capaz de deixar qualquer entusiasta de carros extasiado.

Este magnífico veículo, que chegou a estar sob os cuidados de Julio Raridades, pertencia ao ilustre Dr. Silveira, um renomado advogado da cidade de São Paulo. O Dr. Silveira nos deixou em 2019, deixando para trás uma coleção de automóveis, entre os quais brilhava este Opala que ele possuía desde zero quilômetro.

A História do Opala Diplomata

Em 1988, quando a linha Opala acabara de ser atualizada, o Dr. Silveira dirigiu-se a uma concessionária para conhecer as mudanças da linha Opala para aquele ano. Após um breve encontro com a nova linha, ele se encantou e decidiu adquirir um Diplomata Sedã 4.1/S com câmbio mecânico, na cor de lançamento Azul Atlantis Metálico e movido a gasolina.

Vale destacar que, até aquele momento, o Dr. Silveira nunca havia comprado um carro zero quilômetro. Como um presente para si mesmo em comemoração a sua carreira ilustre, ele comprou o Diplomata na configuração que mais lhe agradou.

Inicialmente, o Diplomata foi usado como veículo para ir ao escritório e atender clientes e audiências, mas seu verdadeiro propósito era servir como um meio de viajar, especialmente para Campos do Jordão, onde o Dr. Silveira tinha uma casa para descansar com a família nos finais de semana. À medida que o tempo passou, ele adquiriu carros mais modernos, mas sempre guardou o Opala como um símbolo do trabalho que o levou ao sucesso.

Convidado pelo filho do Dr. Silveira a inspecionar o Diplomata, Julio Raridades encontrou o Opala coberto de poeira, mas, ao mesmo tempo, protegido, com um aroma que remetia à época em que foi fabricado. As chaves descansavam no teto, marcadas pela poeira do local, um verdadeiro achado para os verdadeiros caçadores de raridades.

“Ao entrar no carro, deparei-me com uma quilometragem de apenas 56.000 km, imaculado, belo e maravilhoso, exatamente como gostamos de encontrar”, disse Julio Raridades. Ele também compartilhou um detalhe fascinante para os conhecedores: 1988 foi o último ano em que o motor 250-S foi oferecido como opcional nos Opalas. Esse motor, considerado um dos mais potentes de todos os tempos nos Opalas, incluía tuchos mecânicos, carburador DFV-446, comando diferenciado e um conta-giros marcando 7.000 rpm. Poucos conhecem essa informação, e ainda menos carros foram produzidos com essa configuração, sendo o modelo de 4 portas, talvez, o menos produzido de todos.

“Para minha surpresa, ao verificar o chassi e o painel marcando 7.000 rpm, além de ser movido a gasolina, não restaram dúvidas: estamos diante de um autêntico 250-S! Simplesmente incrível! E agora, depois de longas conversas, conseguimos trazer esse belo Diplomata para o nosso acervo. Após uma revisão minuciosa, revelaremos o resultado”, destacou Julio, ansioso para compartilhar mais detalhes dessa incrível descoberta automobilística.

Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades
Opala Diplomata ano 1988 / Foto reprodução/ Facebook / Julio Raridades

O Opala Diplomata é uma das versões mais icônicas e luxuosas do Opala, um carro de grande sucesso no Brasil. Para entender a história do Opala Diplomata, é preciso primeiro conhecer a história do Opala em si.

Lançado no Brasil em 1968 pela General Motors do Brasil (GM), ele foi o primeiro carro de passeio produzido pela GM no país. O Opala foi desenvolvido com base no modelo alemão Opel Rekord, mas teve adaptações significativas para atender às necessidades e às preferências do mercado brasileiro. Com um design elegante e motor de seis cilindros, o Opala rapidamente conquistou o público brasileiro.

O Diplomata não foi lançado imediatamente. A versão Diplomata surgiu em 1979 como uma resposta à crescente demanda por carros de luxo no Brasil. A GM introduziu o Opala Diplomata como uma versão mais sofisticada do Opala, com acabamentos e equipamentos de maior qualidade. O carro era oferecido em várias opções de carroceria, incluindo sedã, cupê e perua.

Ao longo dos anos, o Opala Diplomata passou por várias atualizações e melhorias para se manter competitivo no mercado brasileiro. Ele foi disponibilizado com diferentes motores de seis cilindros, incluindo opções a gasolina e álcool, e ganhou destaque por seu conforto, luxo e desempenho. Algumas versões do Opala Diplomata incluíam itens como ar condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos e interior revestido em couro.

O Opala Diplomata continuou a ser produzido até 1992, quando saiu de linha junto com o fim da produção do Opala em geral. Foi um dos carros mais queridos pelos brasileiros e ainda hoje é lembrado com nostalgia pelos entusiastas de carros clássicos.

Quer saber mais sobre carros e acompanhar todas as novidades do Universo Automotivo? Então segue a gente no Google News!

Google News