7 carros antigos encontrados abandonados que atualmente valem milhões

158

Milhares de pessoas compram automóveis e não conseguem se livrar deles, muitos ficam tão velhos que param de funcionar. Por isso, guardam-nos sempre em algum lugar, como uma garagem ou um celeiro, e esquecem-se deles. 30 ou 40 anos depois, alguém compra essa garagem ou celeiro e encontra um tesouro perdido, geralmente a necessitar de grandes reparos ou de uma restauração completa, mas muitas vezes valendo centenas de milhare ou até milhões de dólares.

Sabemos que nos dias atuais grande parte dos carros de hoje é feita para servir como meio de transporte – e nada mais. Algumas décadas atrás, no entanto, a coisa não era bem assim: diversos carros passavam por um processo de produção digno de obras de arte, seja para andar nas ruas ou nos circuitos.

É aí que, em algum momento, alguém compra esses carros e, por um motivo qualquer – que pode ser uma peça quebrada ou simplesmente para fazer parte de uma coleção – abandona o automóvel em um galpão e por lá ele fica, durante vários anos.

Depois de décadas, alguém acaba descobrindo a existência desses veículos – que geralmente estão debaixo de uma camada generosa de poeira ou ainda tomados pela ferrugem – e então eles são trazidos do “mundo dos mortos” para brilhar novamente. Os americanos chamam esses carros debarn finds, os “achados de celeiro” – e alguns deles têm histórias bem interessantes.

1 – Presente de Onassis

Aristóteles Onassis foi um homem rico – tão rico, na verdade, que resolveu comprar uma Lamborghini Miura S 1969 de presente para um cara chamado Stamatis Kokotas (sem piadinhas!) simplesmente por apreço pelo artista, que era conhecido como “o Elvis grego”.

O presente, no entanto, não empolgou muito Kokotas, que deixou a Lamborghini abandonada desde 1972 no estacionamento de um hotel em Atenas, depois de uma quebra no motor. De qualquer forma, o cantor – e ávido entusiasta da velocidade, pois também era piloto de rally – rodou quase 100 mil quilômetros no esportivo, mas não quis pagar a conta do conserto e resolveu deixar o automóvel à mercê do tempo.

O clássico veículo só voltou a chamar atenção quando as Olimpíadas estavam prestes a chegar à cidade grega, e, em 2004, o hotel onde o carro estava teve de ser reconstruído. A Lamborghini Miura S foi a leilão, mas os 480 mil dólares oferecidos não foram o suficiente para cobrir a reserva solicitada pelo veículo – que foi vendido posteriormente por um preço muito próximo da oferta inicial.

07194228361168
Foto reprodução

2 – Vencedor das 24 horas de Le Mans e ícone americano, abandonado em um galpão

Na década de 60, a Ford bagunçou a Europa quando tirou a soberania da Ferrari em diversas provas tradicionais na região, como as 24 horas de Le Mans. Um dos carros que se tornou o ícone desse feito é o Shelby Cobra Daytona Coupé: apenas seis foram produzidos especialmente para disputar as corridas.

Depois de dominar as terras europeias, os seis veículos voltaram para os Estados Unidos e acabaram indo parar em coleções ou vendidos pelo próprio criador, Carroll Shelby. Com o passar dos anos, um dos Cobras foi dado como perdido, deixando, então, apenas cinco unidades registradas e conhecidas.

07194425112183
Foto reprodução

Foi em 2001, porém, depois de Danna O’Hara cometer suicídio ao botar fogo no próprio corpo, que veio a público a informação de que ela era a herdeira do sexto exemplar do Cobra Daytona Coupé, batizado de CSX2287 – que foi vendido pelo próprio Shelby ao pai de Dana, George Brand, por mil dólares na década de 70, e estava guardado dentro de um galpão trancado – um autêntico barn find.

A trágica morte de Dana trouxe à luz o clássico americano, que hoje é avaliado em mais de 4 milhões de dólares.

07194444674187
Foto reprodução

3 – BUGATTI TYPE 57S ATALANTE – 1937

Este Bugatti, um dos 17 produzidos, ficou esquecido e coletando poeira por 48 anos. Após curtir seu carro por um par de anos, o médico Harold Carr (olha o sobrenome do doutor…) estacionou seu Bugatti numa garagem nos anos 1960 e carro nunca mais viu a luz do dia. Em 2007 Harold faleceu e seus herdeiros decidiram abria a garagem. Encontraram a raridade estimada em US$ 4,4 milhões.

52tgv2i2cbgh44qqnydoawfin
Foto reprodução

4 – CHEVELLE SS VERT

Depois de rodar 168.000 quilômetros em 1969, o Chevelle de Roger Day deu um problema de motor. Como o concerto ia ficar meio caro, Roger vendeu o carro. Um erro pelo qual ele iria se lamentar por décadas, sempre que se recordava do prazer das inúmeras vitórias nas corridas de final de semana que seu SS Vert lhe deu e, principalmente, do início de seu namoro dentro do Chevelle , com Karen, sua esposa até hoje.

Em 2008, Roger decidiu procurar seu antigo carro. Após meses de pesquisa ele o encontrou, comprou e fez uma restauração para deixa-lo nas condições originais. O Chevelle ficou tão bom que, consistentemente, ganha prêmios nas exposições de que participa.

5 – Porsche 901 (1964)

Porsche 901 2 e1549313929966
Foto reprodução

Quando a Porsche lançou o 911, ele chamava-se 901, mas logo a Peugeot ameaçou a tribunal pela sua marca registada do “0” central. Esta primeira série de veículos tornou-se tão rara que nem a Porsche tinha um no seu museu. Até 2014, quando a marca recebeu uma chamada a dizer que tinham sido encontrados dois 911 antigos num celeiro abandonado em Brandenburgo. Quando um deles revelou ser o chassis nº 57 da série 901, logo a marca fez uma oferta ao dono: 107 mil euros. O restauro do carro demorou mas já pode ser visto no museu da marca.

Porsche 901 e1549313859798
Foto reprodução

6 – Jaguar XK140 Michelotti (1955)

Jaguar XK140 e1549314457801
Foto reprodução

Dizem que este carro pertenceu a Brigitte Bardot, mas não há provas disso. Certo, é que o carro avariou ao fim de dois anos, e reapareceu alguns aos depois na Bélgica com uma carroçaria especial e um motor novo. A carroçaria foi desenhada por Giovanni Michelotti, transformando-o no Jaguar mais italiano de sempre, enquanto o motor, para espanto de muitos entusiastas da Jaguar, acabou por ser identificado como o usado pelo C-Type n.º 16. Esteve guardado na garagem a precisar de restauro, quando o seu dono faleceu.

Jaguar XK140 2 e1549314589452
Foto reprodução

7 – Ford Mustang Bullitt (1968)

Mustang Bullitt
Foto reprodução

No México, um entusiasta do Mustang clássico encontrou um carro abandonado e levou-o a um mecânico com o intuito de o transformar num clone de Eleanor, o Mustang conduzido por Nicolas Cage no filme 60 Segundos. Mas quando o mecânico reparou no número de chassis e nos buracos na mala, onde dava para encaixar um suporte de câmara, descobriu uma ligação mais importante à história da cinema: era nada mais nada menos que um dos cinco Mustangs usados no filme Bullitt.

Mustang Bullitt 2
Foto reprodução